Buscar
 

Arquivo de Notícias

21/05/2020

Funalfa apresenta aos vereadores ações voltadas à cultura e a agentes culturais

Diretor apresentou pedido para aprovação do Fundo Municipal de Cultura. Cadastro Municipal de Cultura será feito nas próximas semanas. Funalfa aguarda aprovação de projeto do Governo Federal, que prevê investimento na cultura durante pandemia 

Com a leitura de uma carta aberta do Grupo Emergencial da Cultura de Juiz de Fora, o vereador Rodrigo Mattos (CIDADANIA) abriu a reunião com o diretor geral da Funalfa, Zezinho Mancini, nesta quinta-feira, 21, no Plenário. Devido ao isolamento social, os agentes de cultura apresentaram pela carta alguns pontos sensíveis da cultura de Juiz de Fora. Dentre os principais tópicos na carta estavam os cursos de formação artística; a agenda de luta pela cultura para contornar o momento da pandemia; uma lei de emergência cultural; a questão da segurança, no sentido de não haver retrocesso na agenda cultural; o evento Corredor Cultural; e o edital da Lei Murilo Mendes. Zezinho anunciou que será feito um Cadastro Municipal da Cultura, cuja estimativa é o cadastramento de 5 a 6 mil agentes culturais. "Com esse cadastro, esperamos ter melhores condições de planejar políticas públicas".  

Zezinho ressaltou que a cultura está além da arte e do artista, mas é a própria identidade da cidade e, por isso, é fundamental defendê-la. Para ele, Juiz de Fora mostra ações efetivas nesse esforço. Ele exemplificou como, a partir de uma análise comparativa, outras cidades do mesmo porte de Juiz de Fora (com 500 a 700 mil habitantes) atuam no setor. De acordo com ele, nos últimos meses, em nossa cidade aconteceu o "Viraliza Cultura", para reunir as ações culturais praticadas na cidade e fortalecer os canais dos artistas; o "Indique 4 artistas que todo mundo deveria conhecer", cuja ação resultou no registro de novos artistas para mapeamento e melhor reconhecimento da realidade do município; o "Drive-Thru Solidário", para doação de alimentos e distribuição à população carente; e o "Cultura Conecta", com ciclos de reuniões voltadas às diversas áreas artísticas com discussões para encontrar os melhores caminhos para a cultura. Além disso, "temos também o problema da falta de recursos. Há hoje duas emendas da Deputada Margarida Salomão (PT) com dois editais em andamento. E estamos trabalhando para o 'Corredor Virtual' esse ano com contratações", afirmou.

Questionado pelo vereador Juraci Scheffer (PT) sobre a criação de um "voucher" para a sobrevivência dos artistas, Mancini destacou que está negociando com a Secretaria da Fazenda, mas que a situação econômica do município dispensa explicações e que procura formas de exequibilidade. Já o vereador Dr. Antônio Aguiar (DEM) também contestou se, sem necessitar dos recursos do município, há outra forma de amparar a classe artística que não está contemplada pelos projetos em andamento. Zezinho afirmou que está elaborando um projeto de contratação imediata para execução do serviço no futuro. No entanto, ainda não foi apresentada ao departamento jurídico a viabilidade da ideia. "Como vocês disseram, nesse momento a preocupação é com o básico, com a sobrevivência, como a cesta básica", argumentou.  

O diretor lembrou que aguarda a aprovação do projeto 1075 da Deputada Federal Jandira Feghali (PT), que prevê R$ 3,6 bilhões do Governo Federal como recursos para a cultura nacional, com entrega de recursos da União aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, no exercício de 2020, para aplicação em ações emergenciais de apoio ao setor cultural. Ele lembrou também que há o Projeto 1801 na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, que propõe o auxílio de R$500.  "Mas o projeto só contempla  artistas com vínculos empregatícios. Isso cria um funil tão restrito que vai chegar a poucas pessoas".

Sobre a ajuda do Governo do Estado, o diretor da Funalfa lembrou aos vereadores a importância da aprovação do projeto de criação de fundo municipal para a cultura. "A cidade não tem um fundo próprio. Parte do que recebemos depende do estado, e é voltado ao patrimônio. Mas ao não termos um fundo, recebemos menos recursos ano a ano”. Zezinho apresentou também uma das propostas dos gerentes culturais durante o "Cultura Conecta"  sobre estudos para a isenção de IPTU nos moldes de um projeto antigo da prefeitura de São Paulo para a revitalização cultural da Rua Augusta.  

Estavam presentes os vereadores, Rodrigo Mattos (CIDADANIA), Juraci Scheffer (PT), Ana do Pde. Frederico (PATRIOTA), Sargento Mello Casal (PTB), Dr. Antônio Aguiar (DEM) e Vagner de Oliveira (PSB). 


 

Informações: 3313-4734 / 4941 - Assessoria de Imprensa

Visualizada pela 78ª vez

Câmara Municipal de Juiz de Fora
Rua Halfeld, 955 - Centro, Juiz de Fora/MG
Tel: (32) 3313-4700

design by
©2011 Câmara Municipal de Juiz de Fora | Licensa Creative Commons